Chávez minimiza impacto da queda do preço do petróleo

CARACAS (Reuters) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse na quarta-feira que a economia do seu país só será afetada pela atual queda do preço do petróleo se o produto local cair a menos de 55 dólares por barril. Os preços do petróleo bruto caíram nas últimas semanas mais de 50 por cento em relação ao recorde alcançado em julho, refletindo os temores de que a crise financeira iniciada nos EUA derrube a demanda mundial por energia.

Reuters |

"Ainda se o preço do petróleo retrocedesse aos níveis de 2006, quando terminou em 55 dólares por barril, tenham plena certeza de que esta crise mundial não afetaria a Venezuela", disse Chávez numa formatura universitária.

"Digo isso para fazer frente à grande campanha que já começou tentando meter medo nos venezuelanos, gerar incerteza social", acrescentou.

Analistas avaliam que o país, cuja economia cresceu amparada pelo aumento do petróleo nos últimos anos, poderia ser gravemente afetado pela atual queda, inclusive vendo-se obrigado a desvalorizar a cotação da sua moeda.

Para o orçamento de 2009, o governo previu um valor médio de 60 dólares para o barril do petróleo-padrão.

O governo Chávez usa os dividendos do petróleo para promover programas sociais na Venezuela, o que contribui com a imensa popularidade do presidente.

(Por Fabián Andrés Cambero)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG