Caracas, 16 jul (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, lamentou hoje que o provável candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, esteja dinamitando o possível diálogo que, se ganhasse as eleições de novembro, poderia abrir com seu país e com Cuba.

"(Obama) diz que ele gostaria falar com os Governos de Cuba e Venezuela se chegar à Presidência, mas, assim como as coisas vão, ele já está dinamitando qualquer possibilidade, porque, se há algo que temos, e ele quer que lhe emprestemos um pouco, é dignidade", afirmou Chávez.

A referência a Obama foi feita em um ato em Caracas com candidatos de seu partido nas eleições regionais e municipais que acontecerão na Venezuela em novembro.

Segundo o presidente venezuelano, em declarações recentes, Obama "disse que Chávez é um destruidor, ou algo assim, da América do Sul, mas o destruidor é o império, que ele também representa".

No fim de semana, ao criticar as práticas "antidemocráticas" do governante e sua retórica incendiária contra os EUA, Obama disse em entrevista à Agência Efe que Chávez foi "uma força destrutiva na região".

Apesar disso, o democrata reiterou que ainda é possível um diálogo com a Venezuela, e que, se vencer em novembro, tentará se aproximar mais da América Latina.

"O cavalheiro (Obama) disse que ia revisar a política dos EUA para a América Latina, mas aplicando a política da cenoura e da vara. Bem, cavalheiro, vá estudando o que acontece na América Latina, porque, se você não entendeu, o que há nesta terra é uma revolução desatada", disse hoje o venezuelano.

Chávez reiterou que ninguém deve "criar expectativas" diante de uma eventual vitória de Obama nas eleições presidenciais dos EUA, porque, segundo disse, a ameaça dos EUA só terminará quando o "império" acabar.

"Esse império tem que acabar, tem que cair", para que os povos latino-americanos possam decidir seu futuro, acrescentou o governante. EFE rr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.