O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, destacou a coragem do jornalista iraquiano que atirou seus sapatos no presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ação que gerou manifestações dentro e fora do Iraque.

"Menos mal que não lhe pegou. E não é que esteja promovendo sapatadas nem nada, lançamento de sapatos, mas que coragem de verdade", afirmou Chávez disfarçando um sorriso nesta segunda-feira, durante uma reunião com ministros transmitida pelo canal estatal.

Desde o domingo o canal estatal VTV e o internacional Telesul vem repetindo as imagens do momento em que o jornalista iraquiano atirou seus sapatos contra o presidente dos Estados Unidos, durante uma entrevista coletiva para a imprensa em Bagdá. Bush conseguiu se esquivar dos sapatos.

Relações difíceis

As relações entre os governos de Chávez e Bush, que deixa a Presidência em janeiro, foram marcadas por tensões e trocas de acusações durante os últimos oito anos.

Chávez, que diz estar aberto para dialogar com o presidente eleito Barack Obama, acusa a Bush de apoiar a oposição de seu país com o objetivo de derrubá-lo.

O pior momento da contínua crise diplomática entre Caracas e Washington ocorreu em setembro, quando o presidente venezuelano ordenou a expulsão do embaixador dos Estados Unidos de seu país, em resposta a uma suposta ingerência do governo americano na crise política da Bolívia.

Bagdá

Ao atirar os sapatos no presidente americano, o repórter Muntazar al-Zaidi, gritou:"Esse é o seu beijo de despedida do povo iraquiano, seu cachorro."
A prisão do jornalista gerou protestos no Iraque. Milhares de pessoas sairam às ruas no bairro de Cidade Sadr, em Bagdá, para exigir a liberação do repórter. O canal de televisão Al-Baghdadia para quem al-Zaidi trabalha também exigiu do governo iraquiano a libertação imediata do jornalista.

A imprensa local, que estampou a foto de Bush desviando dos sapatos, afirma que muitos árabes aplaudiram a ação do repórter.

No Líbano, o movimento Hezbollah definiu o ato como "heróico".

"Foi um beijo de despedida em nome das viúvas, dos órfãos e das pessoas que você matou no Iraque, um beijo corajoso dado pelo correspondente da rede Al-Bagdadia, Muntazer al-Zaidi, que merece ser elogiado", declarou o movimento por meio de um comunicado emitido nesta segunda-feira.

Na cultura árabe, os sapatos são considerados sujos, razão pela qual arremessá-los em alguém é um grave insulto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.