Chávez insiste na reeleição, agora por emenda

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, cuja proposta de reeleição indefinida foi derrotada em referendo, defendeu hoje a aprovação da medida por uma simples emenda constitucional.

AFP |

"Estão dizendo que a proposta (de reeleição indefinida) é inconstitucional, mas a Constituição se refere ao caso de reforma constitucional, que quando não é aprovada, não pode ser reapresentada no mesmo período constitucional, mas estamos falando de uma simples emenda", disse Chávez em um ato transmitido por rádio e TV.

A reforma constitucional, que reunia 69 artigos, incluindo a reeleição por tempo indefinido do presidente, foi rejeitada em referendo há um ano.

"Já começou a gritaria contra-revolucionária, dizem que Chávez está doente de poder (...), que é um tirano, um ditador (...) podem dizer qualquer coisa, oligarcas da Venezuela, não me importo, sei apenas que vamos emendar a Constituição bolivariana".

A atual Constituição, promovida pelo próprio Chávez em 1999, prevê um mandato presidencial de seis anos, com apenas uma reeleição.

Segundo o presidente, nas "próximas horas decidiremos" como introduzir a emenda, se por decisão de 30% dos deputados da Assembléia Nacional, controlada pelo chavismo, ou por iniciativa popular, o que exige a assinatura de 15% dos eleitores inscritos, algo em torno de 2,5 milhões de pessoas.

Chávez disse que seu desejo é levar a reeleição indefinida a referendo até o final de fevereiro de 2009.

"Estou convencido de que, independentemente do que dizem meus adversários (...), devo permanecer por mais alguns anos à frente do governo da Venezuela".

"A partir de agora me lanço como pré-candidato presidencial para 2012",conclui Chávez.

nn/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG