Chavez: golpe frustrado de 2002 lançou revolução na América Latina

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse, nesta segunda-feira, que o golpe frustrado contra ele, em abril de 2002, permitiu detonar uma revolução socialista na América Latina.

AFP |

Considerado pelos Estados Unidos a ovelha negra da região, Chávez, aliado próximo de Cuba, ficou dois dias afastado do poder, durante a tentativa de golpe fomentada por uma parcela do Exército, até retornar, em 13 de abril de 2002, após uma ampla manifestação popular a seu favor.

"O império americano e seus aliados tentaram conter não apenas a revolução na Venezuela (...) mas também as forças revolucionárias em toda a América Latina", lançou Chávez, durante uma cerimônia comemorativa.

"Eles fracassaram e, hoje, todo o continente está em marcha para uma verdadeira revolução", declarou o presidente venezuelano, desde 1998 à frente desse rico Estado petroleiro.

Essas declarações foram dadas no momento em que Chávez convoca uma reunião da esquerda latino-americana, quinta-feira, na Venezuela, com o objetivo de formar uma frente unida e reforçada, às vésperas da Cúpula das Américas de Trinidad y Tobago.

Essa cúpula, entre 17 e 19 de abril, reunirá todos os países do continente, à exceção de Cuba, e será o primeiro grande encontro da região com o presidente americano, Barack Obama.

bl/tt/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG