CARACAS (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, ameaçou na quinta-feira tomar pessoalmente providências contra o canal oposicionista de TV Globovisión caso outras autoridades não o punam. Há expectativa de que a emissora será fechada. Paralelamente, promotores disseram que o presidente do canal, Guillermo Zuloaga, será processado por manter ilegalmente veículos Toyota novos, o que foi descoberto em uma blitz policial em uma propriedade sua, na semana passada. O empresário diz que a ação tem motivação política.

Chávez vem ampliando a pressão contra seus adversários nas últimas semanas, e já havia exigido mudanças na linha editorial da Globovisión.

"Se o que tiver de acontecer não acontecer nas instituições corretas, então terei de agir como fiz em ocasiões anteriores", disse Chávez à TV estatal.

Há dois anos, ele recusou-se a renovar a licença do maior canal privado da TV aberta, que esteve envolvida em uma tentativa de golpe contra ele. O fato provocou indignação internacional, mas não abalou sua popularidade interna. O canal RCTV agora só existe na TV paga e deixou de ser uma força política.

O dono do Globovisión, Alberto Ravell, disse na semana passada à Reuters que já espera a desativação da emissora no futuro próximo.

Zuloaga, o presidente da empresa, deverá comparecer no dia 4 a um tribunal para ser indiciado pelo "armazenamento irregular" de 24 picapes novas encontradas na sua propriedade. Os promotores dizem que o acúmulo de veículos é uma forma de especulação de preços.

Zuloaga alega que os veículos pertencem a uma empresa legítima e que ele está sendo perseguido.

Chávez disse que a empresa Toyota deveria explicar seu papel na distribuição dos veículos, o que se tornou uma questão social na Venezuela devido aos preços inflados.

O presidente socialista criticou o procurador-geral e o ministro encarregado de regulamentar as telecomunicações por não terem tomado ações mais rápidas contra o Globovisión.

Esse canal pequeno, mas influente, atrai a ira de Chávez por várias razões. Certa ocasião, transmitiu um programa em que um convidado dizia que Chávez terminaria seus dias enforcado, como o ditador italiano Benito Mussolini.

O canal mais visto do país é de longe a Venevisión, que adota uma postura neutra e transmite muitas novelas.

(Reportagem de Ana Isabel Martinez)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.