O presidente venezuelano, Hugo Chávez, adotou nesta quarta-feira novas medidas de austeridade para conter as despesas no serviço público.

"Que não se vá uma bolivita (moedinha) em gastos supérfluos, corrupção ou incapacidade", disse Chávez durante uma reunião com governadores e deputados do Partido Socialista Unido.

As novas determinações fazem parte de um conjunto de medidas fiscais para enfrentar a crise econômica mundial, que incluem uma redução de 6,7% no orçamento nacional e um aumento de 9% a 12% do imposto sobre o valor agregado (IVA).

Chávez disse que é preciso racionalizar os recursos, incluindo o uso de telefones celulares, ligações internacionais e Internet".

O presidente também quer reduzir os gastos com cartões de crédito corporativo e o aluguel de veículos, incluindo nas missões diplomáticas.

A partir de hoje, estão "proibidas as contratações de serviços de assessoria", exceto nos casos em que o país enfrenta ações judiciais no exterior.

"Festas, material promocional e de publicidade também estão proibidos no serviço público. Se alguém faz aniversário, mande uma carta de felicitação", disse o presidente.

mdp/LR/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.