Caracas, 24 ago (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou hoje que o linguista Noam Chomsky é um dos intelectuais que mais contribuiu na luta contra a hegemonia da elite que governa nos Estados Unidos, ao receber o ensaísta americano no Palácio de Governo.

"Dou as mais calorosas boas-vindas (...), já era hora de nos visitar e de o povo venezuelano vê-lo e ouvi-lo diretamente", disse Chávez a Chomsky na porta do palácio presidencial de Miraflores, no centro de Caracas.

O chefe de Estado venezuelano lembrou que "sempre" leva consigo "não um, mas vários" livros de Chomsky, professor emérito da Massachusetts Institute of Technology (MIT) dos Estados Unidos e considerado um dos intelectuais mais prestigiosos da esquerda internacional.

Chávez desejou longa vida a Chomsky para que, assim, "siga produzindo essas ideias maravilhosas que são nutrientes para os que lutam contra a hegemonia imperial e o modelo capitalista, que é uma verdadeira ameaça contra a espécie humana".

"Socialismo ou barbárie (...), hegemonia (imperial e capitalista) ou sobrevivência. Nós optamos pela sobrevivência", afirmou o líder venezuelano, defensor do chamado "socialismo do século XXI".

Chomsky expressou muito brevemente seu agradecimento a Chávez pelas "amáveis e generosas palavras", e disse achar "emocionante" que na "Venezuela esteja sendo construído esse outro mundo possível e ver um dos homens que inspirou esta situação" de mudança.

"Falar da paz é, de alguma maneira, fácil (...), o difícil é criar um novo mundo, um mundo diferente", acrescentou o intelectual americano, que se encontra de visita a Caracas e nesta segunda-feira deu uma palestra na capital venezuelana.

Na ocasião, Chomsky criticou "a mentalidade imperial" dos Estados Unidos, e acusou a maior potência do mundo de "exacerbar as tensões nos países latino-americanos". EFE gf/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.