Chávez e Santos se reunirão na próxima terça-feira em Bogotá

Encontro entre chanceleres da Colômbia e da Venezuela definem novo passo rumo a um acerto para acabar com crise entre os países

iG São Paulo |

Os presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, e da Venezuela, Hugo Chávez, se reunirão na próxima terça-feira em Bogotá, anunciou hoje o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, após se reunir com sua colega colombiana, María Ángela Holguín.

Na noite de sábado, logo após a cerimônia de posse do novo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, o presidente venezuelano, Hugo Chávez disse que tinha interesse em 'virar a página' da crise entre os dois países. Por isso, ordenou seu chanceler, Nicolás Maduro, que expressasse seu desejo de se reunir "cara a cara" com Santos em Caracas ou em Bogotá.

AFP
Os chanceleres dos dois países em crise informam que os presidentes Hugo Chávez e Juan Manuel Santos se encontrarão na próxima terça em Bogotá
"Acredito que o chanceler Maduro e eu demos esse primeiro passo para um diálogo franco e direto com o objetivo de restabelecer relações marcadas pela transparência e franqueza", afirmou Holguín. "O segundo passo será dado pelos presidentes na terça-feira, com uma reunião na Colômbia", acrescentou, em breves declarações na sede da chancelaria colombiana.

Em seguida, Maduro afirmou que seu governo está "realmente satisfeito" com a condução das conversas para solucionar a crise. "Vamos atuar de maneira transparente", afirmou o chanceler venezuelano.

Crise

Os países romperam relações, no mês passado, após o então presidente colombiano, Álvaro Uribe apresentar vídeos com supostas provas das ligações de Caracas com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na sessão extraordinária do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington.

Ao anunciar o rompimento das relações, o presidente Hugo Chaves afirmou: “não nos resta, por dignidade, mais que romper totalmente as relações com a Colômbia, com lágrimas no coração”.

No mesmo dia, Chaves pediu "alerta máximo" aos militares na fronteira com a Colômbia e disse que não aceitaria “nenhum tipo de agressão”, o que indicava a iminência de um possível conflito.

Na posse do atual presidente, Chávez mandou seu chanceler com uma 'mensagem de amor' para começar a reconciliação. Outro desafeto de Álvaro Uribe, o presidente do Equador, Rafael Correa, também foi a Bogotá para acompanhar a cerimônia de posse de Juan Manuel Santos neste sábado.

Esta foi a primeira visita de Correa desde que seu Governo rompeu relações com o país vizinho em março de 2008. "Muita sorte, irmãos e irmãs colombianos, neste novo período de governo, contem sempre com nosso total apoio", declarou Correa após descer do avião que o levou de Quito para Bogotá.

O Equador havia rompido relações diplomáticas com a Colômbia após um bombardeio colombiano sobre um acampamento das Farc no país, sem o consentimento do governo local. O ataque deixou 26 mortos, entre eles o então número dois da guerrilha, 'Raúl Reyes'. No último ano, os dois países avançaram no restabelecimento dos laços.

* Com informações da agências EFE e BBC

    Leia tudo sobre: chavezsantosencontro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG