Chávez e Lugo defendem integração regional e combate à pobreza

Caracas, 18 jun (EFE).- O chefe de Governo venezuelano, Hugo Chávez, e o presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, defenderam hoje a integração regional e o combate à pobreza, durante a visita de dois dias do ex-bispo paraguaio a Caracas.

EFE |

Fernando Lugo, que chegou ontem à noite à Venezuela, foi recebido com honras por Chávez, que em discurso de tom religioso chamou o líder paraguaio de "padre e bispo dos pobres, agora presidente dos pobres e de todo um povo heróico".

"Você veio para ajudar (...) na criação do reino que Cristo anunciava há 2.000 anos, o reino da justiça, da igualdade, do amor", disse Chávez ao receber o líder eleito no Palácio presidencial de Miraflores.

Em mensagem transmitida em cadeia nacional de rádio e televisão, o presidente venezuelano e defensor do "socialismo do século XXI" reiterou que seu Governo está empenhado em se reencontrar "com povos como o paraguaio que resistiu aos ataques imperialistas durante estes séculos".

Lugo por sua vez reafirmou que renovava seu compromisso "de roubar o sonho ao Libertador" Simón Bolívar, revolucionário venezuelano, de conseguir "a pátria grande sem fronteiras".

"Hoje mais do que nunca, os presidentes da América Latina estão comprometidos com os sonhos libertários de nossos antecessores (...) correm brisas suaves de liberdade, independência e soberania, de novos tempos", comentou.

Chávez e Lugo se reuniram na sede do Governo, no centro de Caracas. A coletiva de imprensa que estava prevista foi cancelada.

O ex-bispo, que foi eleito presidente do Paraguai em 20 de abril e assumirá o cargo em 15 de agosto, chegou a Caracas ao lado de sua futura ministra de Relações Exteriores, Milda Rivarola, como parte de uma viagem regional de cinco dias que já o levou a Bolívia e Equador.

Antes de se reunir com o governante venezuelano, Lugo renovou seu compromisso com os pobres diante do túmulo do Libertador, em um ato oficial no Panteão Nacional no qual esteve acompanhado pelo chanceler Nicolás Maduro.

"Os pobres são a razão da minha vida. Quero renovar aqui, no Panteão, meu compromisso com eles", disse o líder eleito, que considera que os níveis de pobreza que castigam o continente são um escândalo para quem acredita "em Jesus libertador".

O ex-bispo recebeu as "Chaves da cidade" das mãos do prefeito do município de Libertador, o governista Freddy Bernal.

Bernal disse que os venezuelanos festejaram seu recente triunfo eleitoral, confirmando que "na América Latina sopram ventos de mudança".

Na saída do Panteão Nacional, o presidente eleito recebeu honras militares e depois foi fotografado, apertou mãos, e recebeu presentes de várias pessoas, entre eles um boné e um jaqueta de uma universidade militar, que vestiu imediatamente.

No fim de sua visita, Lugo tem encontros previstos com um grupo de sacerdotes venezuelanos e com diretores do partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), fundado e dirigido por Chávez.

Ele ainda poderá se reunir com o primeiro vice-presidente do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) e Arcebispo da cidade venezuelana de Mérida, monsenhor Baltazar Porras, um ferrenho adversário do governante venezuelano, de acordo com fontes diplomáticas.

Antes do fim de sua visita amanhã, Lugo deverá conceder uma entrevista ao vivo para dois canais de televisão e participará de um ato público no Teatro Municipal de Caracas. EFE gf/rb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG