Chávez diz que não foi a cúpula antidrogas por razões de segurança

Caracas, 3 ago (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, ratificou hoje que por razões de segurança desistiu no último minuto de participar da cúpula regional antidrogas de Cartagena, na Colômbia.

EFE |

"Tinha decidido ir, mas à noite chegaram informações preocupantes e sérias sobre movimentos estranhos em torno da cidade e da região onde ocorreu a cúpula", disse Chávez.

O governante fez alusão ao assunto no programa "Alô Presidente", que foi transmitido da cidade de Caicara do Orinoco, 950 quilômetros ao sul de Caracas.

Chávez não deu detalhes sobre o tipo de informação que o levou a aortar a viagem e se limitou a resumir que tomou a decisão "para evitar qualquer coisa".

O presidente explicou que em 31 de julho pediu ao ministro das Relações Exteriores, Nicolás Maduro, que o representasse na reunião e explicasse que sua ausência se devia a "razões de segurança".

Também manifestou que instruiu Maduro a ratificar a vontade da Venezuela de "seguir combatendo o narcotráfico e exigir a co-responsabilidade dos grandes países consumidores, começando pelos Estados Unidos".

Outras diretrizes dadas a Maduro, segundo Chávez, estiveram relacionadas com a exigência de que os EUA não utilizem o tema das drogas para atacar politicamente a Venezuela.

"Desconhecem nossos sucessos porque, politicamente, não gostam de nós, e o mesmo fazem com os direitos humanos", denunciou o governante venezuelano. EFE rr/bm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG