Chávez diz que ministro da Defesa colombiano seria uma ameaça como presidente

Caracas, 17 mar (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse hoje que o atual ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, seria uma ameaça para a paz do continente como chefe de Estado de seu país.

EFE |

"De vez em quando, ele enlouquece e diz que vai atrás dos terroristas onde quer que estejam. É uma loucura, e ele quer ser presidente da Colômbia", disse Chávez num discurso no canal estatal "Venezolana de Televisión".

"Imaginem como a paz deste continente será ameaçada se um cavalheiro como esse alcança seu objetivo", acrescentou o governante venezuelano, segundo quem Santos "é o pupilo da extrema direita ianque".

Chavéz também lembrou que, apesar de suas declarações defendendo a atuação da Colômbia fora de suas fronteiras, em 10 de março Santos assinou, no Chile, uma declaração que veta essa possibilidade.

O documento, emitido na reunião constitutiva do Conselho de Defesa da Unasul, ratifica "o respeito irrestrito" à soberania, à integridade e à inviolabilidade territorial dos Estados-membros da aliança.

"Ele esteve lá, calado, e assinou. Claro, porque está sozinho e ninguém neste continente aceita essa pretensão de transformar a Colômbia em algo como Israel", afirmou Chávez.

"Além disso, nossa querida Colômbia deve assumir uma atitude de respeito. Já vimos o que aconteceu quando desrespeitaram a soberania do Equador. A Colômbia ficou sozinha. Até o 'gringo' ficou caladão lá na OEA", acrescentou o chefe de Estado ao se referir ao ocorrido em 1º de março de 2008.

Nesse dia, tropas colombianas atacaram um acampamento clandestino das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no Equador, matando 26 pessoas, entre elas o segundo homem na hierarquia da guerrilha, "Raúl Reyes". EFE rr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG