Caracas, 10 set (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou hoje que o julgamento que acontece em Miami sobre o caso da mala é um show e está comprado.

No banco, está o venezuelano Franklin Durán, que é acusado de atuar como agente venezuelano para ocultar a origem e o destino dos US$ 800 mil não declarados e confiscados em Buenos Aires com o empresário venezuelano-americano Guido Antonini em 2007.

Há "um julgamento lá em Miami, um julgamento comprado por um grupo de empresários protegidos. É tudo um show", disse Chávez durante a inauguração de um centro de saúde em Caracas, transmitido em rede nacional de rádio e televisão.

O presidente venezuelano indicou que esse julgamento é um dos componentes da trama internacional elaborada pelos EUA para anular a política de mudanças em curso na Venezuela.

"Isso faz parte de uma nova investida do império contra a Venezuela (...), que inclui planos de magnicídio e um golpe de Estado", declarou o governante.

Mas ninguém vai "conseguir dobrar esta revolução, nem seus senhores, os ianques, nem vocês, 'pitianques'", acrescentou Chávez.

EFE rr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.