Chávez diz que chegada de bombardeiros russos é gesto de apoio

Caracas, 11 set (EFE).- O presidente venezuelano Hugo Chávez declarou hoje que a chegada de dois bombardeiros supersônicos russos Tu-160 ao país nesta quarta-feira é um gesto de fraternidade e apoio que deve dar mais segurança.

EFE |

"A Rússia está conosco", afirmou Chávez, que acrescentou, em referência aos Estados Unidos, que "não há nada melhor para evitar que alguém te agrida como avisar o outro".

O presidente da Venezuela também criticou os meios de comunicação, sem citar nomes. Segundo ele, parte da imprensa "tenta atemorizar" o povo.

O comando da Força Aérea da Rússia explicou hoje em Moscou que os dois bombardeiros estratégicos do país enviados à Venezuela não levam armas nucleares.

Em mensagens transmitidas por rádio e televisão, Hugo Chávez disse que "convém a todos que haja paz na Venezuela, menos ao império ianque".

Ele anunciou também que há vários detidos por um suposto complô de militares contra si, sem dar mais detalhes.

Chávez confirmou ontem a aterrissagem dos bombardeiros russos no aeroporto Libertador, depois de cruzarem o oceano Atlântico em 13 horas, travessia em que foram escoltados por caças russos Su-27 e, durante certo tempo, vigiados por aviões da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O presidente venezuelano afirmou que em sua recente visita à Rússia ficou definida a realização de manobras militares conjuntas.

"Nos interessa muito" preparar às forças militares venezuelanas, disse Chávez.

"Estamos estudando a possibilidade de adquirir submarinos russos" como parte de um programa de "defesa integral" que inclui a dotação de equipamentos de defesa antiaérea, "com seus respectivos foguetes", ressaltou Chávez na quarta-feira. EFE mmm/rb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG