Chávez diz estar disposto a virar a página em crise colombiana

Presidente venezuelano propõe encontro entre chanceleres dos dois países, que estão em crise desde o mês passado

iG São Paulo |

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse neste sábado estar disposto a se reunir com o novo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e "virar a página" do conflito com a Colômbia, país com o qual rompeu relações há duas semanas.

"Estou disposto a virar a página e olhar para o futuro. Estou disposto, presidente Santos", disse Chávez em um ato político, transmitido pela emissora estatal VTV.

Por isso, ordenou seu chanceler, Nicolás Maduro, que expresse a sua colega colombiana, Mariangela Holguín, durante uma reunião que terão no domingo, seu desejo de se reunir "cara a cara" com Santos em Caracas ou em Bogotá.

"Se ele (Santos) não puder vir nos próximos três ou quatro dias, eu estaria disposto a ir a uma reunião na Colômbia", completou.

Em seu discurso de posse na tarde deste sábado, Santos disse que uma das suas prioridades à frente do governo será restabelecer relações com a Venezuela e com o Equador e disse esperar que o fim da crise diplomática com os dois países seja alcançado "o mais rápido possível". "Um dos meus propósitos será restabelecer relações com a Venezuela e Equador e recuperar a confiança", afirmou Santos.

O novo presidente agradeceu a mediação dos países da região, como o Brasil, mas disse preferir tratar a controvérsia diretamente com os países vizinhos. "Agradeço a mediação na situação com a Venezuela (...), mas prefiro o diálogo franco e direto e tomara que seja o mais breve possível", afirmou. "Um diálogo de respeito mútuo, de cooperação recíproca", acrescentou.

Crise

Os países romperam relações, no mês passado, após o então presidente colombiano, Álvaro Uribe apresentou vídeos com supostas provas das ligações de Caracas com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na sessão extraordinária do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington.

Ao anunciar o rompimento das relações, o presidente Hugo Chaves afirmou: “não nos resta, por dignidade, mais que romper totalmente as relações com a Colômbia, com lágrimas no coração”.

No mesmo dia, Chaves pediu "alerta máximo" aos militares na fronteira com a Colômbia e disse que não aceitaria “nenhum tipo de agressão”, o que indicava a iminência de um possível conflito.

Menos de um mês depois, a posse de Juan Manuel Santos na presidência é aguardada como possibilidade de distensão na relação entre vizinhos.

Outro desafeto do ex-presidente, o presidente do Equador, Rafael Correa, também chegou neste sábado a Bogotá para acompanhar a cerimônia de posse. Foi a sua primeira visita desde que seu Governo rompeu relações com o país vizinho em março de 2008.

"Muita sorte, irmãos e irmãs colombianos, neste novo período de governo, contem sempre com nosso total apoio", declarou Correa após descer do avião que o levou de Quito para Bogotá.

O presidente equatoriano também rompeu as relações diplomáticas com a Colômbia em março de 2008 após um bombardeio colombiano sobre um acampamento das Farc em seu país sem o consentimento de seu Governo. O ataque deixou 26 mortos, entre eles o então número dois da guerrilha, 'Raúl Reyes'. No último ano, os dois países avançaram no restabelecimento dos laços.

* Com agências AFP, BBC, EFE

    Leia tudo sobre: Juan Manuel SantosColômbiaposseChávesVenezuela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG