Caracas, 29 jan (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, desmentiu hoje denúncias de repressão brutal, inclusive com práticas de tortura, contra estudantes que durante toda a semana e em várias cidades fizeram manifestações de rejeição a sua gestão.

Nessas manifestações, que deixou um número não detalhado de feridos e detidos, os opositores enfrentaram piquetes antidistúrbios principalmente da Guarda Nacional e estudantes afins a Chávez, dois dos quais morreram baleados por desconhecidos na noite da segunda-feira passada.

Enquanto isso, oito estudantes detidos na quarta-feira na cidade de Barquisimeto denunciaram ontem formalmente terem sido vítimas de torturas.

O advogado que os representa, Guillermo Palacios, ressaltou aos jornalistas que seus clientes foram vítimas de maus-tratos físicos e psicológicos na Brigada 14 Mecanizada de Barquisimeto, onde foram ameaçados de serem levados a uma prisão de presos comuns se recusassem assinar documentos que certificam que receberam bons tratos. EFE ar/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.