O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, participou nesta segunda-feira, no Festival de Veneza, na Itália, da exibição oficial do documentário South of the Border (Ao Sul da Fronteira, em tradução literal), dirigido por Oliver Stone e no qual o líder sul-americano é um dos protagonistas. Chávez apareceu no local do evento cercado por seguranças e desfilou no tapete vermelho ao lado do diretor e de outros integrantes da equipe de produção do filme.

Ao entrar na sala de exibição, Chávez foi ovacionado pela platéia, que aplaudiu o presidente venezuelano de pé.

No documentário, Stone faz uma incursão pelos países latino-americanos governados pela esquerda, em especial a Venezuela.

"O que está acontecendo na América Latina, ali tem um movimento como um renascimento e Stone captou tudo com sua câmera e sua genialidade", disse Chávez à imprensa.

"Creio que é uma boa maneira de prestar um tributo a nossos povos, a nossa resistência, ao amor dos povos da América Latina", disse o presidente.

'Fenômeno'
O diretor, por sua vez, afirmou que o filme é uma resposta aos ataques e acusações feitos por parte da imprensa, sobretudo a americana, contra Chávez.

"Mas queria fazer um filme sobre os ataques dos meios americanos. Sentia que era muito pequeno para o que este homem representa. Este homem é um grande fenômeno", disse Oliver Stone sobre o presidente venezuelano.

"Por isso, fizemos uma espécie de filme de viagem para visitar os outros presidentes e vimos o lado positivo do que está acontecendo, a mudança na região. É um fenômeno muito importante que é ignorado pelos Estados Unidos", afirmou.

Além de Chávez, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva também participa do documentário, assim como a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, da Bolívia, Evo Morales, do Paraguai, Fernando Lugo, do Equador, Rafael Correa e também o líder cubano Raúl Castro.

O produtor de South of the Border, Fernando Sulichin, disse à BBC Mundo que o filme mostra Chávez "assim como ele é".

"É uma pessoa com uma visão histórica bastante importante", disse.

Segundo o produtor, o filme deve estrear na América Latina em novembro.

De Veneza, o presidente Hugo Chávez continua seu giro que inclui países como Irã, Argélia, Síria, Líbia, Rússia, entre outros. A próxima parada do presidente será a Bielorrússia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.