Caracas, 25 jun (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, denunciou hoje que em Honduras está em andamento um golpe de Estado impulsionado pela burguesia retrógrada do país centro-americano, e fez um apelo aos soldados hondurenhos para que obedeçam a seu presidente, Manuel Zelaya, e ao povo.

"Querem destituir o presidente (Zelaya). Isso é o que se está estudando agora (no) Congresso, na Corte Suprema (hondurenhos)", afirmou Chávez, que se mostrou convencido de que a "burguesia" não terá sucesso e não "ganhará o povo".

O líder venezuelano advertiu que os Governos "revolucionários" da região não ficarão "de braços cruzados" frente à eventual tentativa de derrubar Zelaya, que classificou como um "líder que surge e assume sua responsabilidade".

"Estamos dispostos a fazer o que for preciso para que se respeite a soberania de Honduras e a vontade do povo de Honduras", afirmou Chávez, após revelar que nas últimas horas falou sobre a situação no país centro-americano com os governantes da Bolívia, Evo Morales, e da Nicarágua, Daniel Ortega.

O líder venezuelano revelou que "ontem à noite" conversou por telefone com Zelaya e expressou a ele seu apoio às medidas de destituição dos chefes militares, adotadas pelo governante hondurenho.

"Todo nosso apoio ao povo hondurenho, aos movimentos revolucionários, ao presidente Zelaya", destacou, durante a terceira edição de seu novo programa semanal noturno em rádio e TV. EFE gf/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.