Chávez defende que preço do petróleo se estabilize em US$ 100

Lisboa, 24 jul (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, defendeu hoje em Lisboa a necessidade de o preço do barril do petróleo se estabilizar em um valor correto, que deveria rondar os US$ 100.

EFE |

"Se (o preço do barril do petróleo) se estabilizar perto dos US$ 100, acho que estaria correto", afirmou Chávez à imprensa na saída de um encontro com o presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, no Palácio de Belém.

O presidente venezuelano lamentou as fortes oscilações do preço do petróleo e lembrou que o barril custava US$ 7 quando chegou ao poder na Venezuela, em 1998.

Chávez disse que é necessário encontrar um "nível de estabilização" do petróleo, levando em conta que o barril atingiu níveis históricos nas últimas semanas ao superar US$ 145.

Por este motivo, Chávez disse que é preciso analisar a evolução do preço do barril de petróleo ao longo dos anos.

"Não se trata de ver apenas um dia, inclusive porque o preço muda todos os dias", disse.

Segundo Chávez, a origem da escalada do preço do petróleo este ano se deve ao "efeito especulativo".

Chávez iniciou quarta-feira à noite em Lisboa a penúltima escala de uma viagem pela Europa, que o levará amanhã à Espanha.

O presidente venezuelano aproveitou a visita à capital portuguesa para assinar, com o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, vários acordos de cooperação no valor de US$ 750 milhões.

Chávez chegou a Lisboa acompanhado de uma grande delegação, que realizou hoje uma reunião com empresários portugueses interessados em investir na Venezuela.

Durante este encontro, o ministro de Energia e Petróleo venezuelano, Rafael Ramírez, anunciou que o ministro da Economia português, Manuel Pinho, será recebido em Caracas em agosto junto a representantes de empresas portuguesas para aprofundar a relação comercial entre os dois países.

A agenda de Chávez em Lisboa inclui encontros com o ex-presidente português Mário Soares e com o chefe de Estado de Cabo Verde, Pedro Pires.

Também é possível, segundo fontes da delegação de Chávez, que ele se reúna com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aguardado esta noite em Lisboa para participar da Cúpula da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). EFE abm/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG