Chávez defende legitimidade do projeto de reeleição ilimitada na Venezuela

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, defendeu a legitimidade de uma proposta de emenda constitucional que lhe permitirá a reeleição ilimitada, em um discurso feito, neste domingo, em Maracay (80 km a oeste de Caracas), em saudação aos comandantes das guarnições militares.

AFP |

"Qual tirano convoca o povo? Qual ditador consulta o povo?", perguntou Chávez, referindo-se ao requisito de submeter a referendo, provavelmente em fevereiro, a proposta de emenda que está no Parlamento.

"Não tem nada mais legítimo, nada mais justo do que convocar o povo. A consulta, a emenda, ninguém poderá evitá-las. O que o povo disser será acatado, é a vontade da Nação que se imporá definitivamente", frisou.

"Dizem que tenho um projeto pessoal para me eternizar no poder, nada mais longe da verdade. Aqui, tem um projeto nacional de independência que exige ainda novos impulsos para se consolidar, não está consolidado", assinalou.

A Assembléia Nacional, dominada pelo Partido Socialista Unido (PSUV) de Chávez, aprovou a proposta há dez dias, em primeira votação.

A segunda votação será em 5 de janeiro próximo.

Assim que for aprovada definitivamente será levada ao Conselho Nacional Eleitoral para que, no prazo de 30 dias, convoque um referendo sobre a emenda constitucional.

Os partidos de oposição são contra a proposta e criticam a convocação do referendo porque em 2007 se rejeitou um projeto de reforma da Constituição, que previa a reeleição presidencial indefinidamente.

nn/nh/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG