Chávez declara emergência elétrica na Venezuela

CARACAS (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, declarou nesta segunda-feira emergência elétrica devido à crise energética que obrigou o racionamento no fornecimento de luz no país, o que está atingindo sua popularidade. O governo atribui a situação a uma persistente seca que esvaziou a gigantesca represa de El Guri, responsável por 70% da geração de energia elétrica do país.

Reuters |

Contudo, alguns analistas e a oposição acreditam que a crise se deve a anos de falta de investimentos no setor e responsabilizam Chávez por não preparar o sistema para o aumento da demanda.

"Estamos prontos para decretar a emergência elétrica porque, na verdade, é uma emergência", disse Chávez em um programa transmitido pela rádio estatal.

O decreto de emergência permite ao governo acelerar a transferência de recursos para enfrentar o problema elétrico, cujo plano consiste na massificação das usinas termelétricas, no racionamento a empresas e particulares e no bombardeio de nuvens para provocar chuva em áreas estratégicas do país.

"Faço um chamado a todo o país, apaguem as lâmpadas. (Estamos diante) da maior seca que a Venezuela já teve em quase 100 anos", acrescentou o presidente, acompanhado do vice-presidente e dos ministros de Energia, de Eletricidade e de Finanças.

(Reportagem de Patricia Rondón Espín e de Enrique Andrés Pretel)

    Leia tudo sobre: venezuela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG