Chávez decide expropriar edifícios históricos de Caracas

Caracas, 7 fev (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, decidiu hoje, sem aparentemente consultar ninguém, expropriar vários edifícios na Praça Bolívar de Caracas, no centro da cidade, para recuperar seu valor histórico.

EFE |

A decisão foi anunciada pelo líder no início de seu programa dominical de rádio e televisão "Alô Presidente".

Chávez abriu o programa na Praça Bolívar, onde foi recebido por um grupo de simpatizantes chamados "custódios do 'Libertador'", com quem relembrou aspectos da história da praça, enquanto caminhavam lentamente por ela.

Em um determinado momento, Chávez comentou que em uma das casas tinha vivido durante a juventude Simón Bolívar (1783-1830), o 'Libertador', pouco após se casar. O presidente então perguntou qual era a utilidade da casa na atualidade.

Quando o prefeito de Caracas, Jorge Rodríguez, indicou que nela funcionavam vários negócios privados, Chávez exclamou durante a passeata: "Que sejam expropriados!".

Ao ser perguntado por outros dois ou três edifícios da praça, de três ou quatro empresas, o presidente repetiu: "Que sejam expropriadas!".

Chávez explicou que a área deve preservar a memória histórica de Caracas, que é também a da Venezuela.

A Praça Bolívar fica perto da casa onde nasceu Simón Bolívar e, em seu centro, há uma estátua eqüestre do 'Libertador'. EFE rr/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG