eixo do mal - Mundo - iG" /

Chávez convida Obama para o eixo do mal

NOVA YORK - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, pediu nesta quinta-feira a seu colega americano, Barack Obama, que se mostre coerente com as ideias que defende e se junte ao eixo do mal, durante um discurso na Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Obama, venha para o socialismo! Te convidamos para o eixo do mal, exclamou Chávez.

Redação com agências internacionais |

Reuters
Chávez discursa na Assembleia Geral da ONU

Chávez discursa na Assembleia Geral da ONU

O governo anterior, de George W. Bush, introduziu esta expressão para designar países como o Irã ou a Coreia do Norte, suspeitos de buscar armas de destruição em massa e de apoiar o terrorismo.

O dirigente venezuelano discursou sobre vários temas, entre eles a crise política em Honduras. Ele ainda disse que o socialismo é o caminho para "salvar" o mundo do capitalismo.

Chávez se referiu diversas vezes a Obama, pedindo ao presidente americano que suspenda o embargo contra a Cuba e que não utilize bases militares na Colômbia.

Sobre Honduras, ele acusou o Exército dos EUA de cumplicidade no golpe de Estado de 28 de junho, que derrubou o presidente Manuel Zelaya, e deu a entender que Obama também poderia estar envolvido.

"Haveria dois Obamas?" - perguntou Chávez aos representantes dos 192 países membros da ONU. "Who are you, Obama?" (Quem é você, Obama?), acrescentou, em inglês, o dirigente venezuelano, que falou pouco mais de uma hora.

"Não vou falar mais que (Muammar) Kadhafi", prometeu, arrancando risos na plateia. Na véspera, o líder líbio pronunciou um discurso de mais de uma hora e meia, recheado de duras críticas ao Ocidente.

"Kadhafi falou por todos nós", afirmou Chávez, provocando aplausos. "Também não vou falar menos que Obama", avisou. O discurso do presidente americano, pronunciado ontem (quarta-feira), durou 40 minutos.

O presidente da Venezuela afirmou, ainda, que a instituição "já não cheira a enxofre, mas a esperança".  frase foi uma referência ao discurso que o próprio Chávez fez na Assembleia Geral em 2006. Na ocasião, no dia seguinte ao pronunciamento do então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, a quem se referiu como "diabo", o venezuelano declarou que a tribuna da ONU "cheirava a enxofre".

Em seu discurso desta quinta-feira, Chávez também disse que "a revolução está em andamento" na América Latina e no Caribe, e exigiu a pronta restituição de Manuel Zelaya. como presidente constitucional de Honduras.

Leia mais sobre Assembleia Geral da ONU

    Leia tudo sobre: assembleia geral da onu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG