O presidente venezuelano planeja permanecer vários dias na ilha para tratar o câncer diagnosticado em 2011

Chávez em missa em Barinas, depois de voltar de sessão de radioterapia em Cuba (5/4)
AP
Chávez em missa em Barinas, depois de voltar de sessão de radioterapia em Cuba (5/4)
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, chegou a Havana na noite de sábado, na companhia de sua filha Rosa Virginia, para receber o quarto ciclo de radioterapia contra o câncer, informou neste domingo o jornal Juventud Rebelde.

O vice-presidente cubano José Ramón Machado foi ao aeroporto José Martí para receber o presidente venezuelano. O presiDesde que iniciou a terapia com radiação em 24 de março, Chávez viajou três vezes à capital cubana, onde permaneceu por cinco dias.

Mas o presidente já anunciou sua intenção de não interromper sua estada em Cuba até concluir as duas fases que restam do tratamento.

Chávez, que tinha previsto parara algumas horas em Cartagena para assistir à VI Cúpula das Américas a caminho de Cuba, desistiu de ir por, segundo o chanceler venezuelano Nicolás Maduro, recomendação médica .

"Já informamos ao governo da Colômbia e a vários governos amigos que o presidente Chávez não vai participar desta vez desta cúpula, mas estará partícipe do debate", acrescentou Maduro. O chanceler disse que o presidente viajará hoje a Havana para continuar o tratamento de radioterapia contra o câncer que sofre, o que, segundo ele, "avança de maneira excelente".

O presidente venezuelano planeja permanecer vários dias em Cuba para se submeter aos últimos ciclos de radioterapia contra uma recorrência do câncer diagnosticado no ano passado.

O presidente encerrou na quarta-feira passada seu terceiro ciclo de radioterapia contra a recorrência de um câncer diagnosticado em 2011. O tratamento, que até agora foi realizado exclusivamente na ilha cubana, onde o presidente foi operado três vezes em menos de um ano, ainda deve se prolongar por mais duas semanas.

Chávez, de 57 anos, no poder desde 1999, tem previsto disputar um terceiro mandato nas eleições presidenciais de 7 e outubro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.