Chávez anuncia nacionalização de várias empresas metalúrgicas

Caracas - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou hoje a nacionalização de quatro empresas metalúrgicas produtoras de briquete e de outra de canos de aço.

EFE |

Estas empresas contam com capitais japoneses, mexicanos, europeus e australianos, e operam na região de Guiana, no sul da Venezuela.

Chávez também anunciou a nacionalização da empresa local Cerámicas Carabobo, após ter ameaçado comprá-la em 2008 caso não fosse solucionado um conflito que envolvia seus trabalhadores.

"Este setor está nacionalizado, não há o que discutir", disse Chávez em um ato oficial com sindicalistas em Guiana, transmitido em cadeia nacional obrigatória de rádio e televisão.

"As empresas Matesi, Comsigua, Orinoco Iron, Venprecar, Cerámicas Carabobo e Tubos Tavsa estão nacionalizadas", disse o governante, sob o aplauso dos sindicalistas.

Segundo fontes sindicais venezuelanas, a Matesi pertence ao consórcio ítalo-argentino Techint, proprietário da Siderúrgica do Orinoco (Sidor), nacionalizada no ano passado pelo Governo Chávez, que pagará US$ 1,97 bilhão pela empresa, em um acordo acertado no começo deste mês.

Orinoco Iron e Venprecar pertencem a um consórcio formado por capitais locais e o grupo australiano-britânico BHP Billiton.

A Comsigua conta com participação do grupo Kobe Steel, de capitais japoneses e europeus, enquanto a Tubos Tavsa tem capital do consórcio Tenaris.

Chávez assinalou que a nacionalização dessas empresas é um passo "indispensável para poder criar um grande complexo industrial homogêneo" na região de Guiana.

Segundo a imprensa local, as empresas produtoras de briquete se encontram praticamente paralisadas desde o anúncio da nacionalização da Sidor, em maio de 2008.

Leia mais sobre: Hugo Chávez

    Leia tudo sobre: chávez

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG