Chávez anuncia a transportadoras plano contra insegurança

Caracas, 15 jun (EFE) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, reconheceu hoje o problema de insegurança e de escassez de provisões que afeta o transporte público, e anunciou um plano integral que incluiria a alocação de pessoal militar em cada ônibus e uma importação em massa de peças e unidades de coleta. Aí está a Reserva (militar), aí está a Guarda Nacional (GN - polícia militarizada). Se tivéssemos que colocar dois guardas (efetivos da GN) e um policial em cada ônibus, vamos colocá-los, porque é preciso cuidar das pessoas, afirmou.

EFE |

Segundo pesquisas, a insegurança pessoal é o problema que mais preocupa os venezuelanos, e são freqüentes as informações sobre assaltos em transportes coletivos, incluindo metrô e táxi.

O Governo prepara um "plano completo de segurança", que incluirá "aumentar o patrulhamento pelas vias do transporte coletivo, no metrô", acrescentou Chávez, ao comentar os resultados de uma reunião realizada sábado por representantes governamentais e do setor do transporte público.

No programa de rádio e televisão "Alô Presidente", Chávez também prometeu soluções para outros problemas que afetam as transportadoras, como a escassez de peças e o alto custo das existentes.

"Se o Governo tiver que fazer uma grande importação de peças, faremos", afirmou Chávez, que expressou sua disposição para comprar unidades de coleta de "China e Brasil" para vendê-las às transportadoras com "facilidades de pagamento" e, assim, "renovar" a frota existente para que "preste um serviço melhor".

Também anunciou o perdão de uma dívida que as transportadoras contraíram entre 1996 e 1998 com a estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA), mas não precisou o montante da mesma. EFE gf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG