Chávez ameaça cassar licença se mídia descumprir lei eleitoral

CARACAS (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, ameaçou na sexta-feira revogar a licença dos meios de comunicação que não cumprirem uma norma que proíbe a divulgação de resultados eleitorais antes do primeiro boletim da autoridade oficial, a poucos dias de eleições locais. O presidente acusa as redes privadas identificadas com a oposição, a quem chamou de cavaleiros do Apocalipse, de tentar divulgar dados durante processos de votação para influenciar o restante dos eleitores a favorecer seus adversários.

Reuters |

"Emissora de rádio ou de televisão que viole as normas eleitorais em 23 de novembro, que anuncie resultados antes que o Conselho Nacional o faça, será tirada do ar, e isso será motivo para a suspensão da licença para que nunca mais transmitam nada. Não tenham a menor dúvida que vou fazer isso", disse Chávez durante ato político.

Porém, até agora, os meios de comunicação não violaram o mandato do Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

"Alguns andam sugerindo que eles terão suas próprias pesquisas e que vão anunciar resultados antecipados. Não, nenhum meio de comunicação, ninguém pode anunciar resultados", acrescentou o presidente.

A disputa de Chávez contra a mídia alcançou seu ponto mais alto no ano passado, quando decidiu não renovar a concessão ao canal opositor RCTV. Isso provocou uma onda de protestos na Venezuela e no exterior.

Essa medida, segundo analistas e pesquisadores, contribuiu para a derrota em dezembro da iniciativa de Chávez de reformar a Constituição para ampliar seus poderes.

(Por Fabián Andrés Cambero)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG