frear a máquina imperial - Mundo - iG" /

Chávez afirma que Obama não pode frear a máquina imperial

Caracas, 25 ago (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou hoje que o governante dos Estados Unidos, Barack Obama, não tem poder para frear a máquina imperial, que, afirmou, atua de forma autônoma e é a responsável de ações como o recente golpe de Estado em Honduras.

EFE |

"Podem pôr o papa como presidente (dos Estados Unidos, mas) é o império, a doutrina, a maquinaria imperial que se movimenta só, não obedece ao presidente" americano, disse Chávez em um ato oficial em Caracas.

"Infelizmente, Obama não tem o poder para frear a máquina imperial. A máquina imperial vai seguir avançando ... algum dia cairá", acrescentou o governante.

Chávez citou como exemplo dessa tese o golpe de Estado que em 28 de junho tirou Manuel Zelaya do Governo de Honduras, onde agora governam autoridades designadas pelo Parlamento, com Roberto Micheletti à frente, mas que não têm reconhecimento internacional.

"Tenho certeza (de que Obama) não concorda" com a derrubada de Zelaya, "mas é que os militares gringos não o consultaram", aqueles que, segundo Chávez, "desrespeitosamente chamam de negrinho" o presidente americano.

Para o governante da Venezuela, Obama "só ganhou as eleições" nos Estados Unidos "fruto de uma crise econômica, de uma crise terrível no sistema" capitalista.

Chávez afirmou que o golpe contra Zelaya foi dirigido pelos militares americanos assentados na "base ianque" instalada em Palmerola, em Honduras.

"Para isso é que servem as bases ianque, para derrubar (presidentes), mandá-los capturar, colocá-los em um avião e levá-los a onde eles (os militares americanos) disserem", afirmou Chávez, ao argumentar sua reiterada rejeição a um novo acordo militar que devem assinar em breve Colômbia e Estados Unidos.

O presidente venezuelano denunciou que o império teria planos de derrubar seu Governo para, assim, recuperar o controle da riqueza petrolífera da Venezuela, quinto maior exportador mundial de petróleo e quarto principal fornecedor dos Estados Unidos. EFE gf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG