Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Chávez afirma que Obama deve cumprir promessas eleitorais

Caracas, 4 nov (EFE) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou hoje que deseja que o democrata Barack Obama cumpra as promessas feitas durante sua campanha eleitoral, se for eleito presidente dos Estados Unidos. Obama disse coisas interessantes na campanha e esperamos que seja coerente, afirmou Chávez no ato de inauguração de uma clínica popular em Caracas, que foi transmitido por rádio e televisão. O presidente venezuelano citou algumas das coisas que gostaria que Obama cumprisse e mencionou, em primeiro lugar, a eliminação da terrível prisão e centro de torturas que os Estados Unidos têm na base cubana de Guantánamo. Também disse que retirará as tropas do Iraque, para deixar esse povo em paz. Faça isso, senhor, e rápido, acrescentou o governante.

EFE |

Além disso, Obama se mostrou "disposto a conversar com alguns de nós, os presidentes que foram apontados como o eixo do mal", lembrou Chávez, ao se referir a si mesmo e a seus colegas de Cuba, Raúl Castro; Irã, Mahmoud Ahmadinejad; e Bolívia, Evo Morales.

"No que me diz respeito, estou disposto a conversar em pé de respeito e igualdade, porque a Venezuela não é mais que ninguém, mas também não é menos que ninguém", sustentou Chávez.

O presidente venezuelano disse que gostaria de falar com Obama sobre assuntos de interesse mundial como a aids, a fome, as doenças e a falta de médicos, entre outros.

"Diria a ele que esqueçamos de investir tanto dinheiro em bombas atômicas, aviões invisíveis, Guerra nas Estrelas; que se esqueça de invadir povos e derrubar Governos para trabalhar juntos nesses problemas", afirmou.

Ele afirmou também que, a menos que haja uma surpresa, o próximo presidente americano será Obama, "porque até as pedras dizem nos EUA", e, em sua opinião, até seu rival republicano, John McCain, "sabe disso".

Chávez falou sobre o atual presidente dos EUA, George W. Bush, e afirmou que "está saindo com as tábuas na cabeça e pela porta de trás, após uma gestão desastrosa".

Leia tudo sobre: eleições nos eua

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG