Chávez afirma que joga destino nas eleições regionais

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou no domingo que as eleições regionais de 23 de novembro decidirão seu destino e afirmou que depende dos resultados da votação para seguir à frente do governo.

AFP |

"Está em jogo o meu destino, o de Chávez. Vocês dizem para que Chávez não se vá, mas isto dependerá do que acontecer no próximo domingo", disse o presidente a simpatizantes em Maracaibo (500 km ao oeste de Caracas).

"Que Chávez siga governando a Venezuela dependerá do que acontecer em 23 de novembro. Está em jogo o destino da Venezuela, porque na verdade o de Chávez não importa nada", insistiu, depois de lembrar que 'só' restam quatro anos de mandato.

O presidente venezuelano está intensamente envolvido na campanha eleitoral, depois de ter sofrido em dezembro do ano passado a primeira derrota nas urnas, com a rejeição em um referendo da reforma constitucional que contemplava, entre outras medidas, a reeleição presidencial sem limite de mandatos.

Chávez foi reeleito em dezembro de 2006 para um mandato de seis anos e de acordo com a atual Constituição não pode ser candidato novamente.

Quase 17 milhões de venezuelanos votarão no próximo domingo para eleger governadores em 22 estados e a prefeitura metropolitana de Caracas, além de 327 prefeitos e milhares de vereadores.

As pesquisas mostram que a oposição pode conquistar entre cinco e sete governos, além de outras áreas onde existem dissidências dentro do chavismo.

Durante o discurso, Chávez voltou a insistir que determinará a prisão do governador opositor do estado de Zulia, Manuel Rosales, que chamou de "ladrão" e "golpista".

"Manuel Rosales transformou o estado de Zulia em um ninho de mafiosos, de 'pitiyanquis'", disse.

Rosales, que em 2006 disputou a presidência contra Chávez, é candidato à prefeitura de Maracaibo.

nn/cd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG