Chávez adverte que responderá militarmente à eventual incursão colombiana

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, advertiu neste domingo que responderá com seu arsenal de guerra a uma eventual incursão militar da Colômbia em seu território, em perseguição a guerrilheiros, ao rechaçar declarações do ministro colombiano da Defesa, Juan Manuel Santos.

AFP |

"Lamentavelmente, com toda a dor de minha alma, mandaria imediatamente prender os aviões Zucoy e os tanques de guerra, mas a soberania, a dignidade da Venezuela não vou permitir que sejam desrespeitadas por nada no mundo", disse Chávez em seu programa semanal de televisão 'Alô, presidente'.

Chávez disse que Santos representa uma "ameaça para a paz da América do Sul" e o acusou de querer "transformar a Colômbia no Israel da América Latina", afirmando ter tratado do assunto por telefone com o colega colombiano Alvaro Uribe.

"Falei ontem (sábado) com o presidente Uribe para confirmar que não queremos conflitos com a Colômbia", informou Chávez em sua primeira alusão ao tema, depois de a chancelaria venezuelana ter rejeitado as declarações do ministro na terça-feira passada.

"Cuidado, presidente Uribe com esta corrente de extrema-direita, porque não quero nem pensar que ocorra com o ministro Santos de fazer uma loucura, acontecendo com a Venezuela o mesmo que foi feito com o Equador", acrescentou, destacando que Santos foi declarado "inimigo" de seu país.

O ministro havia defendido como um "direito de legítima defesa" atacar "terroristas que estivessem sistematicamente atentando contra a população de um país, mesmo fora de seu território", em entrevista concedida no dia 1 de março ao jornal El Tiempo.

O funcionário evocava a incursão há um ano no Equador, quando tropas colombianas atacaram um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias (Farc) matando vinte pessoas, entre elas o número dois guerrilheiro, Raúl Reyes.

axm/pz/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG