Chávez acusa Israel de genocídio em Gaza

PARIS (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, acusou Israel de genocídio contra o povo palestino, afirmando a um jornal francês que o bombardeio de Gaza no ano passado foi um ataque espontâneo. A questão não é se os israelenses querem exterminar os palestinos. Eles o estão fazendo abertamente, disse Chávez em entrevista ao Le Figaro publicada nesta quarta-feira.

Reuters |

O presidente da Venezuela, que acabou de visitar o Oriente Médio e países árabes, contestou a alegação israelense de que seus ataques a Gaza foram uma resposta ao lançamento de foguetes por parte do grupo islâmico Hamas, que controla o enclave litorâneo.

"O que foi aquilo se não genocídio? Os israelenses procuravam uma desculpa para exterminar os palestinos", disse Chávez, acrescentando que Israel deveria sofrer sanções.

Israel lançou uma ofensiva contra a Faixa de Gaza em 27 de dezembro de 2008, com o objetivo declarado de conter o lançamento de foguetes da região contra o sul de Israel.

O ataque aéreo, terrestre e marítimo durou 22 dias, deixando cerca de 1.300 palestinos mortos, segundo fontes médicas.

Chávez disse reconhecer o direito de Israel existir, assim como todos os países, mas acrescentou que o Estado judeu deve respeitar o direito do povo palestino de autodeterminação.

O presidente venezuelano afirmou desejar mais transparência dos Estados Unidos em sua política externa, colocando que estava decepcionado com as recentes medidas dos norte-americanos na América do Sul, incluindo o uso de bases militares na Colômbia.

"Infelizmente, a chegada de Obama trouxe consigo muita esperança, mas pouca mudança", opinou.

(Reportagem de Vicky Buffery)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG