Chávez acusa EUA e Colômbia de mentirem sobre acordo militar

Caracas - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse neste domingo que os Estados Unidos e a Colômbia mentem descaradamente ao negar a natureza militar e estratégica do chamado livro branco que, afirma, desmascara o objetivo de dominação imperial que teria o acordo militar entre Bogotá e Washington para instalação de bases militares em território colombiano.

EFE |

AFP
Chávez fez coletiva de imprensa hoje
Chávez voltou a qualificar de "bem-sucedida" a recente Cúpula Extraordinária da União de Nações Sul-americanas (Unasul), na qual, acrescentou, "se demonstrou o isolamento do Governo da Colômbia" na região.

O governante expressou que "é um desrespeito à inteligência" que os governos de Colômbia e Estados Unidos afirmem que esse "livro branco" é um "documento acadêmico", redigido "em uma universidade".

"Isso é falso (...) é uma estratégia para o domínio global, que está em andamento", disse o presidente em entrevista coletiva com correspondentes estrangeiros na sede do Governo.

Livro Branco

Chávez apresentou o chamado "livro branco" na reunião extraordinária da Unasul realizada nesta sexta-feira em Bariloche, na Argentina.

Ele insistiu perante seus colegas sul-americanos que o relatório seria uma suposta prova da aparente pretensão hegemônica dos Estados Unidos na região através da instalação de "tropas, especialistas e equipamentos de alta tecnologia militar" em sete bases colombianas.

Na própria sexta-feira, os Estados Unidos asseguraram que o documento exibido por Chávez na cúpula de Unasul é na realidade um relatório da Força Aérea sobre planos de emergências e ajuda humanitária, e que em nenhum caso contém estratégias nem políticas do país.

Leia mais sobre: Chávez

    Leia tudo sobre: chávez

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG