Chávez aceita convite do governo para tratar câncer no Brasil

Presidente venezuelano deve receber tratamento no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, mas ainda não há previsão de data

iG São Paulo |

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, aceitou o convite do governo brasileiro para receber tratamento médico contra um câncer no Brasil , afirmou na quinta-feira uma fonte do governo.

Segundo essa fonte, que pediu para não ter o nome revelado, Chávez deve receber tratamento no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, mas ainda não há previsão de data, pois isso depende de avaliação médica.

AFP
Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, cumprimenta partidários em cerimônia em Caracas
O presidente disse na quarta-feira em entrevista ao canal estatal VTV, em Caracas, que talvez precisaria de radioterapia ou quimioterapia para "blindar o corpo dessas células malignas".

O estado de saúde do líder socialista, de 56 anos, tem sido um mistério desde que foi submetido a duas cirurgia em Cuba. A primeira intervenção foi feita em 10 de junho por causa de um abscesso na zona pélvica . Em 20 de junho, Chávez foi submetido à segunda intervenção para a retirada de um tumor cancerígeno.

A ausência do carismático líder, no poder desde 1999, despertou dúvidas sobre o futuro político da Venezuela e repercutiu na comunidade internacional, forçando Chávez a fazer uma declaração à nação em 30 de junho, quando assumiu em mensagem gravada e transmitida desde Havana que estava com câncer .

Aparentemente mais magro, ele voltou de surpresa à Venezuela na madrugada de 4 de julho para participar das comemorações do Bicentenário da Independência da Venezuela da Espanha, uma maneira de reafirmar que continuava à frente do governo, embora com um ritmo de atividades reduzido.

Não é a primeira vez que um presidente estrangeiro é submetido a tratamento contra o câncer no Brasil. Em agosto, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, deu início a seis sessões de quimioterapia para tratar um linfoma não-Hodgkin com envolvimento ósseo, que teve remissão completa depois de quatro meses de tratamento no Sírio-Libanês.

Também nesse hospital, foram submetidos a tratamentos contra o câncer a presidente Dilma Rousseff e o ex-vice-presidente José Alencar .

Cantoria

Nesta quinta-feira, Chávez apareceu cantando em um ato de celebração pelo Bicentenário da Independência em Caracas, no qual garantiu que a revolução socialista que lidera há 12 anos é "eterna".

Usando roupas militares, o líder fez um breve discurso pela TV no qual indicou que seu câncer o fez sentir "um milhão de vezes mais o amor" de seu povo e por si mesmo e reiterou que está convencido de que vencerá essa "batalha" pela vida.

O governante jurou que seguirá fazendo "tudo o que tiver de ser feito" para vencer essa "difícil batalha (contra o câncer)". "Nossa revolução nasceu agora no século 21 para se transformar na revolução eterna, na revolução permanente, na revolução perpétua", afirmou.

Chávez terminou a cerimônia cantando a música tradicional das planícies juntamente com o cantor popular Cristobal Jiménez em uma praça cheia de partidários.

*Com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: venezuelachávezcubacâncer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG