Quito, 9 ago (EFE).- Os chanceleres dos países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) reafirmaram hoje, em sua III Reunião Extraordinária em Quito, que não reconhecerão nenhuma convocação de eleições por parte do Governo de fato de Honduras.

Os ministros das Relações Exteriores da Unasul convocaram a comunidade internacional para "extremar os recursos necessários e adotar novas medidas a fim de assegurar o restabelecimento do presidente deposto Manuel Zelaya no exercício pleno de suas funções", informou a Chancelaria do Equador em comunicado.

Adicionalmente, os ministros pediram "a restauração pacífica da democracia" no país centro-americano, "no âmbito da reconciliação nacional e da paz, com irrestrita solidariedade com o povo hondurenho".

Os chanceleres anunciaram também que respaldarão a missão do secretário-geral José Miguel Insulza, e dos chanceleres da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Desse modo, os chanceleres ratificam "seu compromisso com a democracia como único sistema para resolver os desafios e trazer mais esperança e oportunidades". EFE ic/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.