Chanceler venezuelano admite 'batalha' de Chávez por saúde

Segundo o diário El Nuevo Herald, filha e mãe do presidente da Venezuela partiram com urgência para visitar o líder em Cuba

iG São Paulo |

Em meio à crescente especulação sobre o verdadeiro estado de saúde do presidente venezuelano, Hugo Chávez, o chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, reconheceu na noite de sexta-feira que o presidente está em uma "batalha por sua saúde", mas continua no comando do governo.

"A batalha que está tendo o presidente Chávez por sua saúde tem de ser a batalha de todos, a batalha pela vida, pelo futuro imediato de nossa pátria. Isso é o que podemos transmitir a nossos compatriotas", disse Maduro, segundo o jornal argentino Clarín.

Nos últimos dias, o chanceler disse ter mantido "contato permanente" com Chávez, e garantiu que o presidente "se mantém informado de todos os assuntos do país". 

Neste sábado, a edição do jornal de Miami El Nuevo Herald relatou que o presidente venezuelano enfrenta "um quadro clínico crítico", ao citar "fontes da inteligência americana".

Segundo o diário, o quadro de Chávez não é grave, "mas crítico, complicado", e as fontes que confirmaram o delicado quadro de saúde do presidente venezuelano "não puderam confirmar as versões" que circularam na internet de "que o líder venezuelano está tratando um câncer de próstata".

Fontes afirmam, segundo o Nuevo Herald, que a filha de Chávez, Rosinés, e sua mãe, Marisabel Rodríguez, partiram há poucos dias "com urgência" da Venezuela rumo a Cuba em um avião da Força Aérea.

O periódico Miami Herald lembra em reportagem neste sábado da "ausência de um substituto confiável" para ocupar o lugar de Chávez na Venezuela. Segundo "observadores" anônimos citados pelo veículos, já que o PSUV - partido governista de Chávez - "está divido em facções que se enfrentam e carece de liderança", se o presidente desaparecesse "deixaria um vazio impossível de cobrir".

Twitter

Após 12 dias de silêncio desde que foi internado em um hospital de Havana para tratar um " abscesso pélvico", Chávez transmitiu na sexta-feira, 24 de junho, dia festivo em que a Venezuela relembra a batalha de Carabobo, várias mensagens através de sua conta no Twitter . "Estou daqui com vocês na dura jornada diária! Até a vitória sempre! Nós estamos vencendo! E Venceremos!", disse em sua conta.

Na quinta-feira, o ministro da Defesa Carlos Mata Figueroa disse que o presidente está mais forte do que nunca, mas não voltará para casa enquanto não estiver preparado. Na quarta-feira, o irmão do presidente Adán Chávez assinalou que o líder poderia retornar a seu país em 10 ou 12 dias, às vésperas da cúpula presidencial da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), que acontecerá nos dias 5 e 6 de julho na capital Caracas.

A ausência de Chávez, que se recupera de uma cirurgia de emergência feira em Cuba em 10 de junho, levantou suspeitas sobre o verdadeiro estado de saúde do líder. Originalmente o governo disse que Chávez retornaria "em alguns dias" mas, à medida que o tempo vem passando e Chávez permanece em Cuba, surgem novos rumores de que o ex-militar de 56 anos esteja com algum problema mais grave.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: venezuelahugo chávezcirurgiacuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG