Chanceler russo nega ter pedido a Rice saída de presidente da Geórgia

Moscou, 10 ago (EFE).- O chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, negou hoje ter dito à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, que o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, deveria abandonar o cargo, após o início do conflito na região separatista georgiana da Ossétia do Sul.

EFE |

"Condoleezza Rice interpretou incorretamente nossa conversa", assinalou Lavrov à imprensa, segundo a agência oficial russa "Itar-Tass".

O ministro de Assuntos Exteriores fez estas declarações ao ser perguntado se em sua conversa por telefone com Rice realmente tinha dito que "Saakashvili deveria sair, como afirmam fontes americanas.

"Se as tropas georgianas abandonarem a Ossétia do Sul e entre a Geórgia e essa região for firmado um acordo de renúncia ao uso da força, a paz se restabelecerá independentemente do destino pessoal de Saakashvili", ressaltou Lavrov.

Em alusão a Saakashvili, ressaltou que a "Rússia não pode considerar como parceiro alguém que ordenou que fossem cometidos crimes de guerra que causaram a morte de milhares de cidadãos russos, incluindo soldados de paz". EFE se/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG