Chanceler quer preservar a imagem da Áustria

O chanceler austríaco Alfred Gusenbauer afirmou nesta quarta-feira que pretende preservar a imagem da Áustria após a descoberta do sórdido caso de seqüestro e incesto de Amstetten, a 100 km de Viena.

AFP |

"Não se pode falar de caso Amstetten, não se pode falar de caso Áustria, se trata de um caso particular", disse Gusenbauer, depois de afirmar que não pode aceitar que a imagem internacional da Áustria seja prejudicada pelo caso Fritzl.

No domingo a polícia prendeu em Amstetten Josef Fritzl, 73 anos, que durante 24 anos manteve a filha Elisabeth, que agora tem 42 anos, trancada em um porão de sua casa e teve sete filhos com ela, um deles morto pouco depois do parto.

O governo austríaco qualificou o caso, que chocou o mundo, de "incrível e abominável".

Viena ordenou a todos os ministros que examinem as normas jurídicas vinculadas ao caso.

Os ministérios do Interior e da Justiça receberam a missão de verificar o papel que todas as instituições envolvidas e que papéis desempenharam no caso.

De acordo com Gusenbauer, Biena está trabalhando com as autoridades da província de Baixa Áustria, onde fica Amstetten, para ajudar as vítimas.

gg/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG