Chanceler paraguaio minimiza declarações de deputado Aleluia sobre seu país

Assunção, 31 jul (EFE).- O chanceler do Paraguai, Héctor Lacognata, minimizou hoje as declarações do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), que qualificou seu país de republiqueta populista, e assegurou que isso não afetará as relações bilaterais entre as duas nações.

EFE |

Segundo a imprensa de Assunção, o deputado Aleluia convocou ainda uma sessão conjunta no Congresso, para analisar o acordo assinado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, com o do Paraguai, Fernando Lugo, sobre o aproveitamento da hidroelétrica binacional de Itaipu.

"A opinião individual de uma pessoa não representa a opinião do Governo, nem do povo brasileiro, embora, neste caso, se trate de uma autoridade legislativa", afirmou o chefe da diplomacia paraguaia a jornalistas.

Lacognata explicou que "não é a primeira vez que este tipo de situação acontece, nem esperamos que seja a última" e lembrou que "o Brasil está entrando em uma etapa eleitoral" e que, por isso, disse que essas declarações "devem ser colocadas dentro desse contexto".

"Logicamente, o acordo fechado no dia 25 de julho (em Assunção) é uma conquista do Governo Lula e haverá setores que, no contexto da lógica da campanha eleitoral, vão tentar bloquear essa conquista", afirmou o chanceler, que discutirá o assunto com o embaixador brasileiro em Assunção, Eduardo dos Santos.

Lugo e Lula fecharam o acordo sobre a triplicação do valor das compensações recebidas pelo Paraguai pela cessão do excedente de sua parte da energia gerada em Itaipu.

A declaração assinada estabelece, além disso, a possibilidade de que o Paraguai comercialize seu excedente diretamente no sistema brasileiro ou que venda para outros países, com a aprovação dos dois Congressos. EFE lb/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG