Chanceler paraguaio acha que Venezuela equilibrará Brasil no Mercosul

Assunção, 3 mai (EFE).- O novo ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Héctor Lacognata, considera que a entrada plena da Venezuela no Mercosul contribuirá para o equilíbrio diante da hegemonia atribuída ao Brasil no bloco sul-americano, formado também por Argentina e Uruguai.

EFE |

"Não há experiência histórica de construção de um bloco em processo de integração com a hegemonia de um dos países maiores, como é a do Brasil", afirmou Lacognata, em declarações publicadas hoje pelo jornal "Última Hora", de Assunção.

Lacognata, que há três dias substituiu Alejandro Hamed, que tinha assumido em 15 de agosto, quando iniciou o Governo do presidente Fernando Lugo, disse que, "decididamente", está convencido de que, "se o Mercosul continuar com este formato de quatro Estados-partes, não tem futuro".

A adesão efetiva da Venezuela ao Mercosul foi aprovada em 2006 pelos Governos dos quatro países, mas, desde então, o protocolo foi aprovado apenas pelos Parlamentos de Argentina e Uruguai.

A oposição paraguaia, de maioria parlamentar, cerrou fileiras para impedir que se concretize a incorporação plena da Venezuela, incluido o partido ao qual Lacognata pertenceu até pouco tempo atrás. EFE lb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG