Teerã, 24 abr (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, afirmou que conversou em Teerã com o chanceler sírio, Walid Mualem, sobre o apoio aos grupos da resistência palestina, especialmente na Faixa de Gaza, informou hoje a agência Irna.

Mottaki, que se referiu ao movimento islâmico Hamas, que controla Gaza, e a outras facções radicais palestinas classificadas como "organizações terroristas" pelos Estados Unidos, considerou "uma necessidade urgente a unidade destas facções".

Mualem, em visita a Teerã desde a última quarta, se reuniu ontem à noite com Mottaki, e foi recebido hoje de manhã pelo presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, com quem "conversou sobre a situação no Iraque, no Líbano e na Palestina", disse a "Irna".

Irã e Síria - único aliado árabe de Teerã - são tidos como os principais apoios aos grupos radicais palestinos, assim como à milícia xiita libanesa Hisbolá, razão pela qual os EUA acusam os dois países de apoiarem o terrorismo.

Vários países ocidentais e árabes, inclusive Arábia Saudita e Egito, também consideram que Irã e Síria não se esforçam para ajudar a resolver a crise política no Líbano, causada pelo vazio presidencial vivido pelo país desde novembro do ano passado.

"O apoio à resistência palestina e à condenação dos crimes da entidade sionista (Israel), especialmente em Gaza, foi um dos assuntos tratados durante a reunião" de Mottaki com Mualem, disse o chanceler iraniano segundo a "Irna".

"Condenamos os crimes da entidade sionista, e pedimos que as facções palestinas se unam neste momento, a unidade dos grupos e das organizações palestinas é uma necessidade urgente", acrescentou.

Por outro lado, Mottaki, cujo país também é acusado de ingerência no Iraque e de enviar armas a grupos insurgentes iraquianos, disse que as "forças de ocupação" devem estabelecer uma data para se retirarem do Iraque. EFE msh/wr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.