Chanceler hondurenho rejeita ingerência externa

O novo chanceler hondurenho, Enrique Ortez, afirmou nesta quarta-feira que o presidente deposto, Manuel Zelaya, não voltará ao poder, e rejeitou qualquer ingerência externa na política do país.

AFP |

"Não queremos intervenções (internacionais) nem queremos que uma pessoa que foi devidamente removida regresse ao cargo de presidente", disse Ortez.

O chanceler garantiu que se Zelaya - que foi levado pelo Exército para a Costa Rica - insistir em voltar a Tegucigalpa, será preso pelos diversos crimes que lhe imputam a Justiça, entre os quais abuso de poder e corrupção.

"Não vamos deixar entrar ninguém (no país) que viole as leis de Honduras", destacou Ortez.

Zelaya, que chegou nesta quarta-feira ao Panamá, disse que regressará neste final de semana a Honduras, após o fim do prazo de 72 horas dado pela Organização dos Estados Americanos (OEA) para sua restituição.

Ortez revelou que "mais de 25 mil hondurenhos já disseram que vão cercar o aeroporto" para impedir a volta de Zelaya.

O chanceler informou ainda que seu país enviará delegados aos países da região para explicar que não existe um golpe de Estado em Honduras, e sim uma sucessão constitucional.

Estes delegados "vão viajar para explicar que a situação em Honduras é uma sucessão que respeita a Constituição e que ocorreu diante de irregularidades cometidas por Manuel Zelaya".

noe/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG