Chanceler francês se defende no parlamento de acusações feitas em livro

O ministro francês das Relações Exteriores, Berrd Kouchner, foi à Assembléia Nacional francesa nesta quarta-feira para defender sua honra contra acusações de possuir ligações pouco éticas no Congo e no Gabão, contidas em um livro lançado no mesmo dia.

AFP |

Falando para os deputados, Kouchner condenou o que chamou de "um livro feito de amálgamas e e insinuações", disse que sempre atuou "de maneira totalmente transparente e legal" e denunciou um ataque "grotesco e repugnante".

Kouchner afirmou ainda que "em nenhum momento, nem no Gabão nem em qualquer outro lugar, tirei proveito de minhas atividades ministeriais".

Na terça-feira, políticos de esquerda e de direita pediram explicações a Kouchner, devido a um suposto conflito de interesses na África, exposto no livro "Le monde selon K." ("O mundo segundo K."), do jornalista e escritor Pierre Péan, publicado pela Editions Fayard.

Entre outras coisas, Péan acusa Kouchner de ter trabalhado para duas sociedades privadas, dirigidas por pessoas próximas a ele, apesar de coordenar, ao mesmo tempo, um organismo de interesse público dedicado à cooperação hospitalar internacional.

A principal acusação, no entanto, se refere a lucrativas atividades de consultoria no setor de saúde da África, entre 2002 e 2007, depois da derrota eleitoral da esquerda e do Partido Socialista, ao qual Kouchner pertencia, e sua nomeação como chanceler pelo presidente eleito, Nicolas Sarkozy.

Pierre Péan afirma também que as atividades de Kouchner no Congo e no Gabão não respeitam as normas que regem a diplomacia francesa.

Em sua defesa, Kouchner se referiu a "insinuações" contidas no livro, sobretudo à expressão "cosmopolitismo", que Pierre Péan associa a uma suposta renúncia à independência nacional francesa na política do chanceler.

"O cosmopolitismo em tempos difíceis lembra algo a vocês", perguntou o minsitro, filho de pai judeu, aludindo a uma expressão vinculada ao antisemitismo na França antes da Segunda Guerra Mundial.

bur/feff/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG