Chanceler espanhol acredita que UE suspenderá sanções a Cuba

Bruxelas, 19 jun (EFE) - O ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, afirmou hoje que os 27 países da União Européia (UE) alcançarão, na Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do bloco, um acordo definitivo para levantar as sanções impostas a Cuba em 2003 e iniciar um diálogo com o regime cubano.

EFE |

Moratinos, em entrevista coletiva no primeiro dia do evento, informou que a Alemanha, que tinha adiado a negociação para esta noite, já "esclareceu" sua posição, o que permitirá abrir caminho a um acordo.

"Espero não estar errado, mas está se avançado com bastantes possibilidades para alcançar um consenso e uma posição conjunta em relação a Cuba", afirmou o chefe da diplomacia espanhola.

A chanceler alemã, Angela Merkel, da União Democrata-Cristã (CDU), ordenou na segunda-feira passada ao ministro de Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, do Partido Social-Democrata (SPD) que governa em coalizão (SPU), atrasar a decisão sobre Cuba até hoje.

Moratinos afirmou que os desacordos de outros países, como a República Tcheca, terminaram "há vários dias".

Apesar de ter certeza que a questão da suspensão das sanções será resolvida no jantar dos ministros desta noite, Moratinos pediu para ser "cauteloso" até que termine o debate.

Ele especificou que a idéia é que o documento final contenha a supressão definitiva das sanções, para o que se requer a unanimidade dos 27 países do bloco. EFE cpg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG