Chanceler equatoriano poderá pedir demissão em breve após críticas de Correa

Quito, 12 jan (EFE).- O chanceler equatoriano, Fander Falconi, pedirá demissão ao presidente Rafael Correa em breve, confirmou hoje à Agência Efe uma fonte ligada ao Ministério das Relações Exteriores do Equador, que disse que a informação ainda é extra-oficial e não deu detalhes sobre os motivos da renúncia.

EFE |

A imprensa local presumiu que Falconi teria tomado a decisão após as críticas de Correa à gestão do projeto ambiental Yasuni-ITT. O chefe de Governo se mostrou contrário aos que, segundo ele, pretendiam estabelecer condições que não permitiriam o desenvolvimento de campos petrolíferos em uma reserva natural.

De acordo com o projeto, a extração deixaria de ser feita em troca de uma compensação financeira internacional.

As críticas também levaram à demissão de Roque Sevilla, presidente da comissão encarregada do projeto por designação presidencial e um dos maiores incentivadores do projeto.

Falconi, um economista especializado em Economia Ecológica, Territorial e Gestão Ambiental, assumiu o cargo em 15 de dezembro de 2008, após ser o titular da Secretaria Nacional de Planejamento e Desenvolvimento (Senplades) e, dentro do Governo, foi um importante defensor da iniciativa ambiental.

Quando assumiu o cargo, definiu como suas metas prioritárias de trabalho a defesa da soberania e dos direitos humanos em decisões nacionais autônomas para dar "respostas à dinâmica da agenda internacional".

Apesar de ainda não existir um pronunciamento oficial, alguns meios de imprensa locais asseguram que Falconi já teria apresentado sua renúncia a Correa. EFE.

ic/id

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG