QUITO (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores do Equador, Fander Falconí, renunciou ao cargo, confirmou nesta terça-feira a chancelaria. A renúncia aconteceu em meio a críticas feitas pelo presidente do país, Rafael Correa, que questionou o andamento de um projeto ambiental liderado por Falconí para deixar de explorar um enorme campo de petróleo.

"(Ele) renunciou nesta manhã", disse à Reuters um funcionário da chancelaria, sem dar mais detalhes.

Com a iniciativa ambiental, o Equador tentava uma compensação internacional para explorar o campo petrolífero Ihspingo-Tambococha-Tiputini (ITT), localizado nas imediações da reserva ecológica Yasuní.

Correa qualificou a negociação de "vergonhosa" e disse que ela "atentava contra a soberania do país".

(Reportagem de Alexandra Valencia)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.