Chanceler declara vitória e deve ser premiê em Israel

A ministra do Exterior de Israel, Tzipi Livni, declarou nesta quarta-feira vitória na eleição para a liderança do Partido Kadima, depois que pesquisas de boca-de-urna indicaram seu triunfo. Se o resultado se confirmar, ela deve se tornar a próxima primeira-ministra de Israel.

BBC Brasil |

Em um discurso, Livni agradeceu seus eleitores e disse que os "mocinhos" venceram. "Eu só quero depois não decepcionar nenhum de vocês e fazer todas as coisas certas pelas quais lutamos."
Pesquisas divulgadas por dois canais de TV de Israel indicam que Livni bateu o segundo colocado, o ministro dos Transportes, Shaul Mofaz, por uma margem de 48% a 37% dos votos.

Uma vitória por tal margem dispensaria a necessidade de segundo turno.

Segundo o correspondente da BBC em Tel Aviv, Tim Franks, as pesquisas de boca-de-urna têm uma longa tradição de imprecisão em Israel, mas mesmo assim o clima no comitê central da campanha de Livni era de comemoração na noite desta quarta-feira.

Pela paz?
Caso a vitória da chanceler se confirme, Livni, de 50 anos, se tornará a primeira premiê de Israel em 34 anos. A última foi Golda Meir, que ocupou o cargo entre 1969 e 1974.

A chanceler é vista por muitos como mais inclinada em buscar a paz nas negociações com os palestinos e também menos inclinada em lançar uma ofensiva militar contra o Irã, disse Franks.

Por outro lado, Livni enfrentou na campanha a alegação de que não seria uma boa primeira-ministra por causa de sua falta de experiência política.

O atual primeiro-ministro, Ehud Olmert, telefonou à chanceler para parabenizá-la pela vitória, diz um comunicado emitido pelo escritório do premiê.

Olmert
Olmert já disse que vai abrir mão do posto depois que seu sucessor for escolhido na eleição.

Atual líder do Kadima, ele poderia ter se candidatado novamente, mas preferiu deixar o cargo para se defender melhor de acusações de corrupção.

Após a eleição, o vencedor terá seis semanas para formar uma coalizão de governo. Enquanto isso, Ehud Olmert deve permanecer como primeiro-ministro.

A eleição do novo líder do Kadima ocorreu em um momento em que o governo americano pressiona palestinos e israelenses para que avancem no processo de paz antes que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, deixe o poder, em janeiro.

Olmert e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, fizeram uma reunião na terça-feira e um porta-voz do premiê israelense disse que os dois continuarão se encontrando regularmente até que o novo governo israelense seja formado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG