Chanceler da Guatemala afirma que país investigará morte de advogado

Washington, 13 mai (EFE).- O ministro das Relações Exteriores guatemalteco, Haroldo Rodas, condenou energicamente o assassinato do advogado Rodrigo Rosenberg, que deixou um vídeo gravado no qual responsabiliza o presidente da Guatemala, Álvaro Colom, por sua morte, e destacou o compromisso do Governo em esclarecer os fatos.

EFE |

Rodas disse que há grupos violentos relacionados com o tráfico de drogas cujo objetivo "é abalar a legitimidade do Governo constitucional" e pediu o apoio da Organização dos Estados Americanos (OEA), onde compareceu hoje, para "preservar a estabilidade e assegurar a paz social do país".

O Governo da Guatemala "reitera sua mais enérgica condenação por este vil e covarde assassinato", disse Rodas, que "rejeitou categoricamente" as acusações contra Colom.

O presidente guatemalteco é acusado, assim como sua esposa e seu secretário particular, Gustavo Alejos, de ter ordenado a morte do advogado, de um empresário e de sua filha, em abril passado.

Rodas insistiu em que o Governo e o próprio presidente têm o "mais vital interesse" no esclarecimento deste fato o mais rápido possível e assegurou que Colom mantém a confiança em seu secretário.

Segundo o ministro, o Governo da Guatemala pediu ao procurador-geral para que conduza "urgentemente" as investigações necessárias sobre o crime.

Além disso, o país pediu ajuda à Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala, um organismo independente das Nações Unidas, assim como ao FBI (Polícia federal americana). EFE elv/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG