Chanceler colombiano evita comentar anúncio de Chávez de ruptura diplomática

Bogotá, 26 ago (EFE).- O ministro das Relações Exteriores colombiano, Jaime Bermúdez, não quis hoje comentar o anúncio do presidente venezuelano, Hugo Chávez, que sugeriu romper relações de maneira definitiva com Bogotá.

EFE |

Bermúdez disse em coletiva de imprensa em Bogotá que ele e seu Governo encaram os "temas sensíveis", como este, com uma postura de firmeza, prudência e audácia.

"É muito claro que a Colômbia trabalha nestes temas sensíveis sob três ideias: firmeza, para defender os interesses do país; prudência, para não cair em provocações desnecessárias, para distinguir entre os interesses pessoais e os interesses nacionais, e, audácia, para explorar novas alternativas", explicou.

O chanceler colombiano observou que a postura do país em relação à Venezuela "foi muito clara", em particular com as mais recentes comunicações oficiais de resposta a declarações de Chávez.

Há dois dias, a Colômbia rejeitou as supostas pretensões "expansionistas" do chefe do Estado venezuelano, que no fim de semana passado pediu a seu partido que entrasse em contato com legendas colombianas para promover seu ideário.

"Fomos muito explícitos em que não vamos permitir de nenhuma maneira, porque isso afeta um princípio fundamental do direito internacional, que é a não-intervenção em assuntos internos de cada país", ressaltou Bermúdez, que lembrou que a Colômbia colocou este assunto em discussão no Conselho Permanente da OEA.

O chanceler ressaltou que, na mesma nota, seu Governo fez uma defesa da "boa honra" dos empresários e cidadãos colombianos na Venezuela aos quais Chávez pediu que fossem investigados por suposta lavagem de dinheiro procedente do tráfico de drogas.

O chanceler colombiano, porém, se absteve de comentar as mais recentes declarações de Chávez, as relacionadas com as deterioradas ligações bilaterais.

O presidente da Venezuela pediu na terça-feira ao ministro de Relações Exteriores, Nicolás Maduro, para "preparar a ruptura de relações com a Colômbia, (porque) isso vai acontecer".

Chávez, que fez a solicitação durante um ato na sede do Governo em Caracas, disse que com a Colômbia "já não há possibilidade de um retorno".

Bermúdez disse que não comentaria os discursos do presidente da Venezuela.

"A mim corresponde defender os interesses do país e conduzir estas relações com prudência, com audácia e buscando alternativas", defendeu. EFE jgh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG