Chanceler colombiano defende diálogo entre governo e as Farc

Seul - O chanceler colombiano, Fernando Araújo, defendeu neste domingo o início do diálogo entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), durante uma visita de três dias à Coréia do Sul.

EFE |

"Cedo ou tarde as Farc terão de se sentar para conversar com o Governo. Não há outro caminho e, quanto mais rápido isso acontecer, melhor será", disse Araújo em entrevista à Agência Efe em Seul.

O chanceler colombiano se mostrou contrário a uma nova mediação internacional no diálogo com as Farc, porque "até agora isso nunca teve êxito, já que as Farc tentam sempre projetar imagens de reconhecimento, e não chegar a acordos".

Araújo afirmou que após um compromisso real entre o Governo colombiano e a guerrilha, a comunidade internacional poderia intervir como "fiadora" desse acordo, mas não como intermediária.

O chanceler colombiano chegou ontem a Seul procedente de Tóquio, em uma visita que tem como objetivo estreitar as relações com a Coréia do Sul e atrair empresas sul-coreanas para investir em seu país.

Araújo se reuniu na manhã de hoje com 50 empresários sul-coreanos para estimular o investimento na Colômbia, que chegou a US$ 36 milhões no ano passado, segundo a Embaixada colombiana em Seul.

O chanceler afirmou que este investimento é "pouco representativo", levando em conta os US$ 9 bilhões em investimento estrangeiro no ano passado na Colômbia.

Araújo se reuniu hoje com seu colega sul-coreano, Yu Myug-hwan, e será recebido pelo presidente Lee Muyng-bak.

O chanceler também vai se encontrar com o ministro da Economia sul-coreano, Lee Yun-ho, para intensificar as relações em energia e recursos naturais.

Araújo deve deixar Seul amanhã rumo a Bogotá, após uma viagem pela Coréia do Sul e o Japão.

Leia mais sobre: Farc

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG